Carla Machado alerta para crescimento de casos de Covid-19 em São João da Barra - CMN - Campos Magazine News

News

quinta-feira, 3 de dezembro de 2020

Carla Machado alerta para crescimento de casos de Covid-19 em São João da Barra

 

(Foto: Reprodução/Facebook)


A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), fez uma live, nesta quarta-feira (2), para alertar a população sobre o crescimento do número de casos de Covid-19 no Município. Durante a transmissão, que contou com a presença da secretária de Saúde Arleny Valdés Arias, a prefeita afirmou que pode adotar medidas sanitárias mais rígidas se os diagnósticos positivos continuarem a aumentar.


“Estamos com 96 casos, nunca tivemos tantos casos em uma semana só. Então, estou aqui para pedir a vocês que mantenham o comportamento necessário para evitar que esse vírus cresça mais. A gente não sabe a reação de cada um”, advertiu a prefeita.


Carla Machado pediu à população que permaneça atenta à necessidade de manter isolamento social, use máscara se for inevitável sair de casa e mantenha os cuidados com a higiene pessoal. Ela também pediu a colaboração do setor produtivo na manutenção das medidas sanitárias.


“Precisamos da ajuda de vocês. Estamos no mês de Natal, sabemos que as pessoas vão às compras. Então, vamos manter o quantitativo de pessoas dentro das lojas, o número de frequentadores permitido pela Vigilância Sanitária em restaurantes, e os horários dos eventos, para que não tenhamos que pedir para que a secretaria de Segurança atue”, disse.


A secretária de Saúde afirmou que o Estado do Rio começa a passar por uma segunda onda da Covid-19 e afirmou que os Municípios do Estado do Rio vêm registrando uma “letalidade bem maior” entre os pacientes infectados.


“Conseguimos criar uma estrutura de atendimento à doença no nosso Município que supre a necessidade da população. Temos o Centro de Triagem, Equipe Móvel, um Hospital com capacidade de 50 leitos, 30 de enfermaria e 20 de UTI, sendo quatro de isolamento, e isso dá uma tranquilidade, pois temos capacidade de atendimento. Mas, tem pacientes que têm uma evolução muito grave. E temos observado que, nesta segunda onda, a letalidade está sendo bem maior”, explicou Arleny.












Fonte: JTV

Nenhum comentário:

Postar um comentário