Professores de Campos são contemplados em edital da Faperj de apoio ao empreendedorismo - CMN - Campos Magazine News

News

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

Professores de Campos são contemplados em edital da Faperj de apoio ao empreendedorismo

 Alber Neto e Alexandre Azeredo são professores do Isecensa e tiveram o projeto Skiulive aprovado. Eles receberão R$ 60 mil para investir no desenvolvimento inicial da startup.

Foto: Divulgação

Dois professores de Campos dos Goytacazes, foram contemplados na segunda fase do edital Startup Rio 2020: Apoio à Difusão de Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).


Alber Neto e Alexandre Azeredo são professores dos Institutos Superiores de Ensino do Censa, o Isecensa, e tiveram o projeto Skiulive aprovado. Com isso, os docentes receberão R$ 60 mil para investir no desenvolvimento inicial da startup.


Já somos sócios em uma startup de educação focada no ensino presencial e, com o advento da pandemia, resolvemos manter nosso foco nesta área e começar a estruturar um novo negócio, desta vez no ensino a distância”, explicou Alber.


O professor disse que o diferencial da Skiulive é oferecer cursos ao vivo, individuais e com turmas reduzidas, de até 5 pessoas. O foco inicial será no ensino de habilidades em softwares e, em breve, haverá a seleção de um estudante do Isecensa para estagiar na equipe.


Na primeira etapa do Startup Rio 2020, que teve nove projetos de universitários e professores do Instituto aprovados, os contemplados passaram por mentorias específicas com o objetivo de investigar e validar o problema.


Começamos um processo aprofundado de definição de perfil de cliente e mapa de valor. Utilizamos ferramentas como Canvas, técnicas de pesquisa por formulário e entrevistas estruturada. Agora, na segunda fase, focaremos na preparação da startup para o mundo dos negócios, tendo R$ 60 mil para contratar serviços de terceiros e desenvolver a primeira versão da nossa tecnologia”, afirmou Alexandre.


A vice-diretora do Isecensa, Elizabeth Landim reforçou que “a instituição de ensino tem o DNA da inovação e da pesquisa científica. E mesmo em meio a tantas transformações e desafios gerados pela pandemia, os docentes conseguiram seguir adiante e apresentar um trabalho de excelência”.










Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário