Vítimas de violência doméstica podem pedir ajuda em farmácias - CMN - Campos Magazine News

News

domingo, 28 de junho de 2020

Vítimas de violência doméstica podem pedir ajuda em farmácias

Mulheres vítimas de violência doméstica agora podem contar com mais uma opção para denunciar o agressor. A Campanha sinal Vermelho foi lançada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), no início de junho, pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e já conta com adesão de quase 10.000 farmácias em todo o país. E ainda tem o apoio de diversas instituições, entre elas, a OAB-RJ e a CAARJ. O objetivo, segundo os organizadores, “é incentivar as vítimas a denunciarem os abusos por meio do desenho de um ‘X’ na palma da mão”.

Segundo o CNJ, a adesão da farmácia é voluntária, por meio do preenchimento de um formulário no site da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). Os funcionários que participarem da ação não serão conduzidos à delegacia.

Atendimento em Campos

A Prefeitura de Campos oferece diversos serviços às mulheres visando a garantia de direitos, em diferentes equipamentos.

A SMDHS dispõe da Casa Benta Pereira, serviço sigiloso de acolhimento às mulheres vítimas de violência, com medida protetiva, protegendo sua integridade física e prestando apoio psicológico e social à vítima e seus filhos. A unidade possui, entre outros serviços, parcerias para reinserção dessas mulheres no mercado de trabalho.

“Uma das consequências da quarentena foi expor mulheres e crianças a uma maior vulnerabilidade dentro do próprio lar, diminuindo ainda mais as chances de pedir ajuda. Por isso é muito importante que, não somente as mulheres, mas também os homens façam adesão à Campanha Sinal Vermelho, garantindo que mais pessoas entendam a proposta e reconheçam o sinal que representa um pedido de socorro. Quem estiver em situação de risco, pode ligar ou enviar mensagem pelo whatsapp nos números: (22) 981794140 / 981793737 / 981793738”, assegurou a secretária da pasta, Pryscila Marins. Os profissionais são capacitados para acolher, fazer a escuta qualificada e ajudar a resolver. Nesses canais, o atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

As denúncias também podem ser feitas à Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (Ligue 180). Esse é um serviço gratuito e confidencial, por meio do qual qualquer pessoa (não apenas a vítima) pode denunciar episódios de agressão a mulheres. Não é preciso se identificar, mas é necessário dar informações que ajudem a chegar até as vítimas e ajudá-las.





Fonte: Jornal Terceira Via

Nenhum comentário:

Postar um comentário