Confusão com motoristas de vans encerra sessão da Câmara mais cedo - CMN - Campos Magazine News

News

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Confusão com motoristas de vans encerra sessão da Câmara mais cedo

PM na frente da Câmara / Rodrigo Silveira
Uma confusão de motoristas de vans encerrou mais cedo a sessão dessa terça-feira (1º) da Câmara Municipal de Campos. Durante a palavra livre dos vereadores, alguns permissionários correram para tentar falar com José Carlos (DC), que teve seu discurso interrompido pouco antes. O bate-boca se intensificou e o presidente da Casa, Fred Machado (Cidadania), decidiu dar fim à sessão durante a fala de Eduardo Crespo (PL).

Segundo relatos de testemunhas, seguranças da Câmara precisaram agir para conter os ânimos. O próprio Fred e outros vereadores, como Eduardo Crespo, Cabo Alonsimar (PTC) e Genásio (PSC), também foram até a porta de entrada do plenário para tentar acalmar os permissionários. Os motoristas alegam que estão sem conseguir trabalhar por causa da concorrência com os ônibus nas linhas do interior, enquanto a integração do novo sistema de transporte público não é totalmente implantada. Desta forma, segundo os permissionários, eles estão com dívidas se acumulando.

A Polícia Militar chegou a ser acionada e duas viaturas foram deslocadas para a Câmara.
Após a confusão, Fred recebeu representantes dos permissionários no próprio plenário. Depois, eles foram para a sala de reuniões, onde foram ouvidos pelos vereadores. Os motoristas entregaram um projeto de emenda à lei que autorizou a implantação do novo sistema de transporte público para que as vans possam rodar até o Centro para deixar os passageiros enquanto a construção dos terminais e a integração com os ônibus não sejam concluídas.

Por telefone, Eduardo Crespo informou que Fred Machado ficou de conversar nesta quarta-feira (2) com o prefeito Rafael Diniz (Cidadania) sobre a situação dos permissionários. A equipe de reportagem tentou contato com o presidente do Legislativo, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

A sessão já estava se encaminhando para o final quando a confusão começou. O vereador Alvaro Oliveira (SD), ex-presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT) no governo da ex-prefeita Rosinha Garotinho, usou seu tempo na palavra livre para falar sobre o transporte. Ele acusou o IMTT de prejudicar os trabalhadores. Na sequência, José Carlos rebateu Oliveira: “vocês estão abraçando com quem prejudicou vocês lá atrás”, afirmou. Porém, o vereador do DC teve a fala interrompida pelos permissionários. Ele retornou ao seu lugar e deixou o plenário durante o discurso de Eduardo Crespo quando aconteceu o bate-boca.

Vereadores aprovam Refis municipal 2019

Antes da confusão, os vereadores já haviam aprovado o projeto do prefeito Rafael Diniz que institui um novo Programa de Recuperação Fiscal (Refis). O objetivo é oferecer desconto de até 100% sobre juros e multas para quem tiver dívidas de impostos municipais, como o IPTU. Para começar a valer, ainda é preciso a sanção de Diniz.

No entanto, a aprovação não aconteceu sem polêmica. O vereador Ivan Machado (PTB), que faz parte da base do governo, apresentou uma emenda para que o Refis tivesse desconto de 80% e não 100% dos juros e multas. “É uma emenda didática para poder beneficiar quem paga seus impostos em dia. Sabemos que tem gente que não possui recursos para pagar e, para esses casos, já existem dispositivos na lei para ajudar”, disse.
Ivan foi retrucado por José Carlos: “quem fez essa lei parece que estava dormindo. Não quer beneficiar a população”, afirmou.

Após mais algumas trocas de farpas e tentativa de apaziguar os ânimos por parte de outros vereadores da base governista, a emenda foi reprovada com um único voto a favor, de Ivan. O projeto por inteiro do Refis também foi aprovado com os votos de 24 vereadores e a abstenção de Machado.permissionários na sala de reuniões e, após a conversa, os motoristas deixaram o Legislativo.







Fonte: Folha 1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tempo - Tutiempo.net