Volta às aulas: saiba como economizar no lanche da escola - CMN - Campos Magazine News

News

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Volta às aulas: saiba como economizar no lanche da escola

Foto: Arquivo
Com o retorno das crianças e dos adolescentes às aulas, volta também a preocupação dos responsáveis com o lanche diário na escola, que pode pesar no orçamento. Dar dinheiro todos os dias para a compra de alimentos na cantina, além de ficar caro, reduz as opções saudáveis no cardápio. De olho na economia e no bem-estar da filha Maria Luiza, de 14 anos, a consultora Vivian Cruz, de 39 anos, prefere adquirir comidas e bebidas em atacados e preparar as refeições que a menina comerá no colégio.

Montar a lancheira em casa é a melhor alternativa para quem quer reduzir a despesa com a alimentação das crianças e dos adolescentes na escola. Caso não seja possível levar pronta a merenda toda, o ideal é comprar na cantina um ou outro item apenas para complementar o lanche.

De acordo com a nutricionista Maria Lucia Polônio, conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas da 4ª Região (CRN-4) e especialista na área de Nutrição Materno-Infantil, o alimento que não pode faltar na lancheira é a fruta. Deve-se optar por frutas da época, que são mais nutritivas e de baixo custo. Água é a bebida mais indicada. Nas cantinas, os pequenos devem ser orientados a dar preferência a pão integral ou tapioca com recheio de queijo branco, água de coco, vitamina de leite e frutas, suco natural e bolo caseiro.

Para a lancheira, são opções saudáveis e econômicas fatias de bolo caseiro e iogurte natural. Frutas secas ajudam a variar o cardápio: ameixa e passas são as mais em conta no mercado. Pequenas porções de oleaginosas — castanhas, nozes, amêndoas e macadâmia, por exemplo — também são interessantes. Para não pesar no bolso, o ideal é comprar uma pequena quantidade de cada e misturá-las em casa. Uma colher de sopa do mix já é suficiente no lanche diário.

Como a filha de Vivian Cruz fica das 7h às 17h no colégio, a consultora faz o almoço da jovem e o coloca em embalagens descartáveis que adquire em quantidade para o mês inteiro, o que lhe garante bons descontos no preço da unidade.

— Faço compras mensais no atacado. Às vezes, compro suco de caixinha, mas prefiro preparar suco natural. Sai bem mais barato. Seis laranjas dão menos de três reais e rendem uma garrafa boa de suco. Sem contar que é muito mais saudável — diz Vivian.

Nos mercadões, a consultora também compra biscoitos e alguns chocolates para a sobremesa da filha. Na lancheira da adolescente, ainda vão sanduíche e frutas.

— Acontece, algumas vezes, de ela não levar a refeição toda de casa. Já mandei só o suco em uma lancheira pequena, e ela comprou o restante na escola. Já ajuda a economizar — conta Vivian, que garante que a menina nunca achou "mico" carregar a lancheira para o colégio: — Parece que a nova geração está mais preocupada com a questão financeira, talvez por causa da crise.

Maria Lucia Polônio destaca que é importante ensinar às crianças que a alimentação saudável garante um crescimento satisfatório e melhor rendimento nos estudos. Aliás, o lanche na escola é indispensável: o aluno que fica muitas horas sem se alimentar corre risco de sofrer queda de glicemia, o que provoca falta de atenção e sonolência.



Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tempo - Tutiempo.net