Cheias deixam 8,5 mil pessoas fora de casa no Norte e Noroeste Fluminense - CMN - Campos Magazine News

News

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Cheias deixam 8,5 mil pessoas fora de casa no Norte e Noroeste Fluminense

Reprodução
As ininterruptas chuvas que atingiram o Norte e Noroeste Fluminense, além dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, durante esta semana, voltaram a trazer inundações e deslizamentos de terra e mais de 8,5 mil pessoas estão fora de suas casa, segundo a Coordenadoria Regional da Defesa Civil. 

Os municípios mais afetados, até a tarde deste sábado (15), são Itaperuna, com cerca de 3,9 mil, e Santo Antônio de Pádua, com 3,5 mil de desalojados ou desabrigados. Em Campos, duas famílias estão desalojadas. Já em São Francisco de Itabapoana, a água do rio Paraíba do Sul ultrapassou a RJ 194 e atingiu três residências.

O coordenador do órgão, coronel Joelson Oliveira, explicou que os níveis dos rios nas cabeceiras começaram a diminuir e situação deve lentamente normalizar na região.

— Nossa preocupação é com os moradores das áreas de encostas dos municípios do Noroeste. O Norte já é um pouco mais plano. Pedimos aos moradores que, neste momento de chuva, possam procurar local seguro, sejam casas de amigos ou parentes, ou até a Defesa Civil se precisar de abrigo público. Mas, se nada disso funcionar, pelo menos no pernoite, que permaneçam no cômodo da frente da casa. E também acompanhar as notícias nos jornais para não ficarem apavorados com a tal da fake news — alertou.

A prefeitura de Santo Antônio de Pádua informou que o nível do Rio Pomba está baixando. “Neste momento encontra-se com 5m97, sendo que a vazão da Represa Barra do Braúna está em 900m3/s. A tendência para as próximas horas é de estabilidade/baixa. Pedidos de cestas básicas, água, colchonetes, medicamentos, materiais de limpeza e higiene pessoal, transporte de acamados, entre outros, deverão ser feitos através dos telefones 199 ou 3851-2165 (Defesa Civil)”, informou.

A Defesa Civil de São Francisco informou que a água do rio Paraíba do Sul ultrapassou a RJ 194, que funciona como um dique para a comunidade rural de Muritiba. Duas famílias deixaram suas residências e foram para casa de parentes. Uma família optou por ficar na parte de cima do sobrado onde moram. “Nós já levamos alguns produtos e oferecemos atendimento aos afetados”, informou a coordenadora da Defesa Civil, Luciana Sofiatti. 

Os outros municípios que apresentam desalojados e desabrigados são Aperibé, com 600 atingidos, Cambuci, com 90, Campos dos Goytacazes, com 10, Itaocara, com 16, Laje do Muriaé, com 415, Porciúncula, com 20.





Por Folha 1

Nenhum comentário:

Postar um comentário