Porciúncula confirma morte de músico em enchente no Centro da cidade - CMN - Campos Magazine News

News

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Porciúncula confirma morte de músico em enchente no Centro da cidade

Segundo a Prefeitura, corpo do homem, conhecido como Anderson Titolei, foi resgatado na tarde de sábado (25) por voluntários que passavam de bote.
Foto: Reprodução redes sociais
Porciúncula, no Noroeste Fluminense, confirmou a primeira morte por conta da enchente que atinge 85% do município. A morte é a primeira confirmada nas oito cidades do Norte e Noroeste afetadas pelas inundações. Em Itaperuna, buscas são realizadas desde sábado (25) por um jovem que pulou no rio Muriaé, de uma ponte conhecida como Ponte de Ferro. Tarciano dos Reis Gama, de 19 anos, saltou com três amigos, mas ele foi arrastado pela correnteza.

Em Porciúncula, o corpo do músico, conhecido como Anderson Titolei, foi encontrado por volta das 16h deste sábado (25) em uma área inundada no Centro, próximo à rua Luís Fernando Linhares, segundo informou a Assessoria da Comunicação da Prefeitura.

Voluntários que passavam com um bote pelo local disseram que moradores alertaram sobre um homem se afogando.

Luciano Ferreira, um dos voluntários, conta que eles ainda tentaram salvá-lo.

"Não sei se ele morreu antes do resgate. Tentamos reanimar, mas não tivemos êxito", lamenta.

A vítima chegou a ser levada para uma ambulância, mas já estava morta.

Anderson foi enterrado na tarde deste domingo (26) no Cemitério Municipal de Porciúncula.

A Prefeitura ainda não sabe porque o homem estava na água. Nas redes sociais, um morador lamentou o fato e fez um apelo à população.

"Hoje um rapaz (Anderson Titolei) faleceu na enchente aqui em frente a minha casa. Muito cuidado ao nadar ou passear nesse período de enchente. ATENÇÃO!!!", disse Raphael Luiz Schettino, que informou que o primeiro andar de sua casa foi tomado pela enchente.
Foto: Raphael Luiz Schettino/Arquivo pessoal
Maior enchente da história

Porciúncula é uma das oito cidades do Norte e Noroeste que ficaram inundadas por conta da cheia dos rios, que deixou mais de 6 mil desalojados ou desabrigados. De acordo com a Prefeitura, a cidade enfrenta a maior inundação da história. O nível da água ultrapassou a cota de transbordo, que é de 5,20m, chegando a 8,78m. No sábado (26), a governo informou que 300 famílias ficaram desalojadas e 84 desabrigadas após transbordo do rio Carangola.

Na tarde deste domingo (26), o município recebeu a visita do governador Wilson Witzel, que anunciou a destinação de R$ 23 milhões para a cidade.

"São R$ 10 milhões para a Defesa Civil e R$ 10 milhões para a Secretaria de Desenvolvimento Social. Estamos aqui pra evitar que esse caos volte a acontecer novamente no ano que vem e trabalhar para que nós possamos atender, neste momento, as pessoas que estão precisando mais", afirmou Witzel.

Os outros R$ 3 milhões, ainda segundo o governador, vão ser aplicados na área da Saúde para o tratamento de possíveis doenças que possam surgir em função do contato da população com a água da chuva.

Apesar da água já ter começado a baixar neste domingo ainda há muitas regiões alagadas. Só no bairro Operário, segundo a Prefeitura, foram 340 casas atingidas com água até o teto.

"Aos moradores nos abrigos, a Promoção Social está oferecendo café da manhã, almoço e jantar", explicou a assessoria de comunicação da Prefeitura.

São 3 abrigos fazendo os atendimentos na cidade: o Ciep, o Centro de Convenções no Parque de Exposições e Orlinda Veiga.




G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário