Cheia do rio Muriaé rompe dique da Boianga, em Três Vendas - CMN - Campos Magazine News

News

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Cheia do rio Muriaé rompe dique da Boianga, em Três Vendas

Reprodução
O dique da Boianga, na localidade de Três Vendas, em Campos, não suportou a força da água com a cheia do rio Muriaé e se rompeu na tarde desta terça-feira (28), apesar dos esforços da Defesa Civil para reforçar a barragem. 

A estrutura foi estabelecida, após os rompimentos da BR 356 (Campos-Itaperuna) nas cheias de 2007 e 2012, como forma de impedir que a água chegasse à rodovia, que funciona como um segundo dique para evitar alagamentos na localidade. No local onde o asfalto cedeu nos anos anteriores, foi instalada uma manilha para preservar a estrutura da estrada que se ficasse aberta, direcionaria o volume do rio para o bairro. Por isso, a Defesa Civil realiza, desde essa tarde, o bloqueio com a colocação de barros e pedras na abertura. 

Antes, moradores gravaram um vídeo onde colocaram uma estrutura de madeira para tentar vedar o local. Até às 19h desta terça, a água não havia chegado à localidade. A BR-356 segue interditada nos kms 99, 111 e do 121,4 ao 122,4, no trecho entre Campos e Cardoso Moreira. Nesse município, um caminhão caiu em uma cratera que abriu na lateral da rodovia e o trânsito segue em meia pista. Em todo Norte e Noroeste Fluminense, nove municípios foram afetados por inundações. 
De acordo com a Prefeitura de Campos, uma força-tarefa está sendo realizada na localidade de Três Vendas para impedir a passagem de água sob a BR 356. “A medida foi necessária após o rompimento do dique da Boianga, devido à força da água do rio Muriaé, cujo nível ainda está acima do normal. Estão sendo utilizados caminhões e retroescavadeiras. A área foi isolada. Estão envolvidas a Defesa Civil municipal, secretarias de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Desenvolvimento Ambiental e as superintendências de Posturas e Limpeza Pública”, informou a nota.

Na localidade, a água também chega por baixo, nos chamados minadouros, que jogam a água do rio para o quintal das casas sem passar pela superfície. A Prefeitura de Campos, através das equipes do Grupo de Emergência em Alagamentos, já fez a mudança de 37 famílias de Três Vendas para a igreja da localidade, uma unidade escolar no Parque Aldeia e casa de familiares e amigos.



Folha 1

Nenhum comentário:

Postar um comentário