Dois vigilantes são assassinados dentro do IFF Guarus e suspeito é preso horas após o crime - CMN - Campos Magazine News

News

sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Dois vigilantes são assassinados dentro do IFF Guarus e suspeito é preso horas após o crime

Bruno Santos Rosa e Raul César Gomes Teixeira | Foto: Divulgação 
Dois vigilantes foram mortos a tiros dentro do campus Guarus do Instituto Federal Fluminense (IFF), na madrugada desta sexta-feira (14), em Campos. As vítimas foram identificadas como Bruno Santos Rosa e Raul César Gomes Teixeira, de 40 anos. O suspeito pelo duplo homicídio foi detido, por volta das 12h, no Jardim Carioca. O reitor do IFF decretou luto de três dias na instituição.

O vigilante Raul César Gomes Teixeira era filho do chefe de gabinete da Prefeitura de São Francisco de Itabapoana, Jorge Raul. 

O suspeito foi identificado ao longo da manhã em um trabalho da Polícia Civil, em conjunto com a Polícia Militar. Ele foi seguido do Centro até o Jardim Carioca, onde foi detido quando chegava à comunidade Madureira em uma bicicleta.

De acordo com o titular da 146ª Delegacia de Polícia (Guarus), Pedro Emílio Braga, o suspeito chegou a resitir à prisão, mas teria acabado confessando o crime. O delegado informou, ainda, que a arma de um dos vigilantes teria sido roubada e que o suspeito chegou a indicar onde ela foi escondida, mas ainda não foi localizada.

— Desde o momento da notícia do crime chegada à delegacia, foram iniciadas diligências, a partir da oitiva de uma testemunha que presenciou a fuga do indivíduo. Ao fugir da cena do crime, ele teria roubado uma bicicleta e informado à essa testemunha que tinha acabado de matar duas pessoas e que precisava fugir. A partir disso, com as características informadas pela testemunha, fizemos algumas diligências e levantamentos da identificação do indivíduo e, no início da manhã, conseguimos chegar à qualificação dele, que foi confirmada através de reconhecimento dessa testemunha. Em seguida, a Polícia Civil, juntamente com a Polícia Militar, iniciou buscas, que culminaram na sua prisão, na comunidade da Madureira. No momento da prisão, ele chegou a resistir, estava alterado, sob efeito de droga, mas foi contido pelos agentes. Depois de estabilizado, acabou confessando a prática do crime. Ele foi encontrado na posse da bicicleta subtraída durante essa fuga. Portanto, foi uma resposta rápida das polícias — relatou Pedro Emílio.

O delegado acrescentou que o suspeito traz informações desconexas sobre o motivo de ter entrado no local. "Ele deve ter entrado para furtar e encontrou os caras. Ele tem um porte físico forte, luta bem, deve ter se atracado, arrancou a arma e matou os dois", disse. 

O caso é acompanhado pela 146ª DP e será remetido à Justiça Federal por ter ocorrido dentro do pátio de uma instituição federal. Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML).

A Federação Estadual dos Vigilantes e o Sindicato dos Vigilantes do Rio de Janeiro lamentaram as mortes. "A Federação Estadual dos Vigilantes e o Sindvig-RJ lamentam profundamente a morte dos irmãos de farda de Campos. A diretoria do Sindvig-RJ se solidariza com os amigos e familiares dos vigilantes. O Sindvig Campos está acompanhando o caso de perto e se pôs à disposição dos familiares no que for preciso", informou em nota postada em rede social.

O presidente do Sindvig em Campos, Luiz Rocha também lamentou o ocorrido e disse que estará junto às famílias. “É realmente lamentável. Vamos amparar as famílias para garantir todos os direitos. Foi uma tragédia e nós lamentamos muito a perda dos colegas”, disse.

O reitor do IFF, Jefferson Manhães de Azevedo, lamentou o ocorrido.

 — Todos nos estamos profundamente abalados. Uma tragédia para todos do nosso IFF Guarus, nosso instituto e para as famílias que perderam esses dois colegas. A instituição está entrando hoje (sexta) em luto oficial por três dias. É algo muito trágico, algo difícil. Nós estamos tomando as juntos com a empresa, a diretora Tatiana esteve lá quando recebemos a notícia, pouco mais de 01h da madrugada. A empresa está se mobilizando para dar todo apoio às famílias, todos os procedimentos necessários. O que a gente pode falar é dessa grande tristeza. Ver dois colegas, no exercício de sua profissão, perderem a vida de uma forma tão brutal — disse o reitor que acrescentou ainda que a primeira versão é de que a ação tenha ocorrido na intensão de roubar uma arma.




Fonte: Folha 1

Nenhum comentário:

Postar um comentário