Nível dos rios registra redução, mas municípios do Norte e Noroeste continuam em atenção - CMN - Campos Magazine News

News

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Nível dos rios registra redução, mas municípios do Norte e Noroeste continuam em atenção

Reprodução
Após quatro dias de enchentes e inundações, os rios da região Norte e Noroeste Flumimense começam a voltar ao nível normal. Na tarde desta terça-feira (28), apenas os rios Muriaé e Itabapoana estão acima da cota de transbordo em Italva, Cardoso Moreira e Bom Jesus de Itaboapana. 

Nas ruas, a água foi substituída pela lama e os municípios de toda região realizam mutirões de limpeza para que parte dos 15 mil desalojados ou desabrigados comecem a retornar para suas casas. 

A BR 356 está liberada desde essa manhã em Itaperuna, mas continua totalmente interditada em Cardoso Moreira, próximo à entrada do distrito de São Joaquim. 

Em Três Vendas, Campos, a Defesa Civil continua acompanhando a passagem das águas até o rio Paraíba do Sul, onde o dique da Onça está sendo reforçado.
Leia mais

Após a interdição total da avenida Cardoso Moreira, nessa segunda-feira (27), a Prefeitura de Itaperuna anunciou a liberação da via, "em virtude da ainda lenta, mas progressiva baixa do nível das águas no Centro da cidade". Foi flexibilizada a interdição do tráfego, "liberando a circulação de veículos, com a recomendação aos proprietários de veículos baixos que dirijam com cuidado e sigam as orientações da Guarda Municipal". 

O rio Muriaé, nesta manhã, retornou à calha e, de acordo com a última medição, está em 4,39 metros. A secretaria de Governo informou que todos os acessos à cidade estão liberados e o poder público está trabalhando na limpeza das ruas e na assistências à população e, principalmente, às 113 famílias desabrigadas.

O nível do rio Muriaé, no município de Italva, registra diminuição de 2,5 centímetros por hora. De acordo com informativo da Defesa Civil da cidade, às 10h20 desta terça-feira (28), a medição indicou que o rio estava em 4,85 metros, ainda 65 centímetros acima da cota de transbordo. Em Cardoso Moreira, o rio está em 9,32 e a cota de transbordo é de 8m

Em Campos, a prefeitura informou que fez a mudança de 35 famílias de Três Vendas para a igreja da localidade, uma unidade escolar no Parque Aldeia e casa de familiares e amigos.

Previsão até fevereiro — A previsão do tempo para esta terça-feira, em todo o Rio de Janeiro, é de instabilidade, com céu nublado e probabilidade de pancadas de chuvas isoladas, principalmente no Norte do Estado, no período da tarde.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em informativo publicado nessa segunda-feira e válido até o dia 2 de fevereiro, explicou que a previsão indica continuidade das chuvas na região Sudeste. Dados apontam que, para o Rio de Janeiro e São Paulo, há probabilidade de chuvas, com variação entre 40 mm e 100 mm. Em Minas Gerais, os volumes devem ficar em 20 mm e 50 mm, podendo ultrapassar os 80 mm em algumas regiões. Já no Espírito Santo, o acumulado deve variar entre 10 mm e 40 mm.

A Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro (Sedec-RJ) atua, desde segunda-feira, em apoio aos municípios do interior que registraram cheias e enchentes nos últimos dias. Os trabalhos contam com cerca de 40 agentes. Nesta terça, foi iniciada a distribuição de água para as cidades afetadas, como Cardoso Moreira, Italva e Porciúncula. A entrega está sendo feita por uma aeronave do Corpo de Bombeiros e da Marinha do Brasil, além de caminhões dos dois órgãos. Em Itaperuna, um caminhão do Exército está sendo utilizado para levar doações a áreas mais isoladas.

A Sedec realiza distribuição de água e de material de ajuda humanitária para desalojados e desabrigados, como colchões e kits dormitórios com lençol, cobertor, travesseiro e fronha. 

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) auxilia as ações da Sedec-RJ na região, com cerca de 100 bombeiros militares, viaturas, embarcações, helicópteros, barracas de camping, coletes, lanternas, cordas para salvamento de pessoas, entre outros equipamentos.



Folha 1

Nenhum comentário:

Postar um comentário