Motorista que arrastou ciclista por 3 km é condenado a 12 anos de prisão em regime fechado em Cabo Frio - CMN - Campos Magazine News

News

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Motorista que arrastou ciclista por 3 km é condenado a 12 anos de prisão em regime fechado em Cabo Frio

Celso Brito, de 60 anos, foi atropelado em setembro de 2014. O julgamento foi realizado na tarde desta quarta-feira (14) em Cabo Frio.
Celso Brito foi arrastado do bairro Jacaré ao Parque Burle, em Cabo Frio, no RJ
 Foto: Divulgação/Policia Militar
A Justiça condenou na tarde desta quarta-feira (14) o motorista Mario Fernando Gomes Lucas, que arrastou Celso Brito, de 60 anos, por 3 km em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio. A pena é de 12 anos de prisão no regime fechado, pelo crime de homicídio doloso.

A juíza Janaína Pomposseli, da 2ª Vara Criminal de Cabo Frio, também determinou a perda da caminhonete envolvida no atropelamento, e registrou na sentença que o réu não tem antecedentes criminais e, por isso, ele [Mário] poderá recorrer da decisão em liberdade.

O legista do Instituto Médico Legal (IML) que assinou o laudo cadavérico do ciclista e um homem que presenciou o atropelamento foram ouvidos como testemunhas.

O júri popular foi composto por sete pessoas, sendo cinco homens e duas mulheres, que condenaram o réu pela maioria dos votos.

O crime ocorreu em setembro de 2014, no bairro Jacaré. O ciclista foi arrastado até o bairro Parque Burle, onde homem retirou o corpo da vítima e a bicicleta da parte de baixo do carro e fugiu.

Entenda o caso

Celso Brito, de 60 anos, estava de bicicleta quando foi atropelado na Avenida Wilson Mendes. A bicicleta ficou presa embaixo da caminhonete e o corpo do pescador foi arrastado por quase três quilômetros.

Câmeras de segurança de algumas casas conseguiram registrar o percurso feito pelo carro. Os equipamentos flagraram ainda o momento em que o motorista desceu do veículo, retirou o corpo do ciclista e foi embora sem prestar socorro.

Quase um mês depois, a polícia conseguiu identificar o motorista: o empresário Mário Fernando Gomes. Apesar de ter confessado o crime, ele não havia sido preso e respondia em liberdade pelo crime de homicídio doloso, quando se assume o risco de matar.



G1 Região dos Lagos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tempo - Tutiempo.net