Empresas agora podem ser abertas em até duas horas no Rio de Janeiro - CMN - Campos Magazine News

News

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Empresas agora podem ser abertas em até duas horas no Rio de Janeiro

O processo para abertura de empresas no Rio de Janeiro ficou mais eficiente. Agora, segundo o governo do estado, é possível abrir um CNPJ em até duas horas. Antes, o prazo para a abertura de novos estabelecimentos era de até 30 dias. A aceleração foi possível com uma mudança no sistema de registro da Junta Comercial (Jucerja), vinculada à Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais, responsável pelos registros das pessoas jurídicas.

Segundo o órgão, a média de tempo para abrir uma empresa hoje é de 40 minutos. Muitos empresários poderão se beneficiar da medida. De acordo com o presidente da Jucerja, Vitor Hugo Feitosa Gonçalves, em média, entre 4.500 a cinco mil empresas são abertas mensalmente no estado.

Processos digitais

Até o fim deste ano, será publicado um cronograma para que não sejam aceitos mais processos físicos, somente em formato digital. Além disso, o órgão quer ser reconhecido como a principal porta de entrada para o empresariado fluminense.

— Até algum tempo atrás, o empresário levava 30 dias para abrir uma empresa no Rio de Janeiro. Hoje, ele pode abrir em até duas horas. Isso facilita muito o ambiente de negócios no estado. Desde abril, quando iniciamos o sistema, já tivemos a abertura de cerca de dez mil novas empresas. Algumas situações são muito comuns como, por exemplo, as aberturas de empresas para entrar em um novo negócio ou quando o empresário está vindo de outro estado e precisa abrir uma filial aqui — detalhou Vitor Hugo.

Para agilizar o processo, a Junta Comercial do Estado do Rio criou uma turma de julgadores para analisar os atos de constituição das empresas. Já a Secretaria estadual de Fazenda modificou sistemas para que as concessões de Inscrições Estaduais acontecessem em uma hora.

As duas horas para abertura de empresa são calculadas a partir do momento em que o empresário dá entrada no protocolo. Com isso, dentro desse período, o estabelecimento tem o ato registrado, e o CNPJ e a Inscrição Estadual deferidos.

Segundo Vitor Hugo, a iniciativa ajuda o Rio a atrair empresas de outros estados, já que melhora o ambiente de negócios.

Resposta positiva

Para o presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias e Informações do Rio de Janeiro (Sescon), Renato Mansur, houve um grande ganho de produtividade com a agilidade de abertura de empresas.

— Isso fez com que tivéssemos um ganho na produtividade, não somente para a Junta, mas para todas as empresas. Nós, que conhecemos o fluxo de documentação, sabemos o quanto emperrou ao longo das décadas a questão da abertura de empresas no Brasil. Havia empresas para as quais não era nem possível concluir o processo de abertura. Era algo nefasto. É uma evolução abrir empresas hoje em duas horas — disse Mansur.

Segundo a Jucerja, o próximo desafio é tornar os registros 100% digitais, evitando assim o deslocamento do empresário e a circulação de documentos físicos, com a simplificação e a desburocratização.

A mudança de procedimentos já causou impacto no número de empresas abertas e fechadas nos primeiros meses de 2019, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Empresas abertas, comparativo 2018 x 2019 (período de janeiro a junho):

2018 - 19.937

2019 - 20.983

Empresas fechadas, comparativo 2018 x 2019 (período de janeiro a junho):

2018 - 10.313

2019 - 10.499

Entrada (DBE) por meio do site Coleta Online da Receita Federal.

Confira o passo a passo detalhado no site.




Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tempo - Tutiempo.net