Prefeituras e órgãos ambientais investigam vazamento de óleo em praias de Arraial do Cabo e Búzios - CMN - Campos Magazine News

News

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Prefeituras e órgãos ambientais investigam vazamento de óleo em praias de Arraial do Cabo e Búzios

MPF fará uma vistoria na Prainha e nas Prainhas do Pontal do Atalaia, em Arraial, nesta quinta-feira (4). Já a Guarda Marítima Ambiental de Búzios está recolhendo amostras de óleo na praia Brava.
 Foto: Mateus Vanni/arquivo pessoal
As Prefeituras e alguns órgãos ambientais estão investigando um vazamento de óleo na Prainha e nas Prainhas do Pontal do Atalaia, em Arraial do Cabo, e na praia Brava, em Búzios, na Região dos Lagos do Rio.

Arraial do Cabo

Na quarta-feira (3), manchas foram avistadas por pescadores no mar na quarta-feira (3). A areia das praias ficou coberta por placas escuras.

Segundo a Prefeitura, órgãos ambientais como Inea, ICMBio, Ibama e o CAT da Marinha do Brasil tentam apurar a origem do material encontrado.

No fim da manhã desta quinta-feira (5), está prevista uma vistoria do Ministério Público Federal com o auxílio de um barco nas duas praias do município.

De acordo com a Prefeitura, equipes da Secretaria de Serviços Públicos, representantes do Inea, da Guarda Ambiental e Fiscais da Secretaria Municipal de Ambiente estão realizando desde o início da manhã desta quinta uma limpeza nas areias. A área foi isolada e a previsão é de que a limpeza dure o dia inteiro.

Equipes retiram placas de óleo na Prainha, em Arraial do Cabo, nesta quinta-feira (4) — Foto: Divulgação/Prefeitura de Arraial do Cabo Equipes retiram placas de óleo na Prainha, em Arraial do Cabo, nesta quinta-feira (4) — Foto: Divulgação/Prefeitura de Arraial do Cabo
Equipes retiram placas de óleo na Prainha, em Arraial do Cabo, nesta quinta-feira (4) — Foto: Divulgação/Prefeitura de Arraial do Cabo

Segundo o secretário municipal do ambiente, Arildo Mendes, o órgão trabalha com a hipótese de que o óleo encontrado nas praias seja de alguma plataforma móvel que operou ou esteja operando próximo à costa da região. O secretário informou que o Ibama também irá recolher uma amostra do material para fazer uma análise.

Ainda de acordo com a Prefeitura, segundo o Inea, as praias afetadas não estão interditadas e impróprias para banho. Elas foram isoladas apenas para a limpeza, pois o material possui alta aderência e quando, em contato com a pele, tecido ou objetos, a remoção precisa ser feita com o auxílio de um óleo vegetal.

Búzios

Após denúncias de banhistas alertando sobre a presença de óleo na praia Brava, agentes da Guarda Marítima e Ambiental de Búzios recolheram na quarta-feira (3) amostras do material para análise.

A Secretaria de Meio Ambiente e Pesca entrou em contato com o Cenpes - Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello, da Petrobras, com os técnicos da Bacia de Campos e as empresas que assessoram a Petrobras em ocorrências desta natureza, relatando o problema e solicitando a análise do material coletado.
Foto: Divulgação
Nesta quinta-feira (4), técnicos do Cenpes e do Ibama vão percorrer o litoral da região, juntamente com a equipe de Meio Ambiente de Búzios. O objetivo é investigar a procedência do óleo e averiguar a dimensão dos danos.

De acordo com o secretário Hamber Carvalho, é provável que o material que chegou até as praias de Búzios não seja óleo cru, vindo das plataformas, e sim, material proveniente de limpeza de tanques de grandes embarcações.

Somente após a análise do material coletado, será possível afirmar a procedência do óleo.


G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tempo - Tutiempo.net