Polícia passa a tratar caso de homem que fugiu com o filho em Araruama como extorsão mediante sequestro - CMN - Campos Magazine News

News

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Polícia passa a tratar caso de homem que fugiu com o filho em Araruama como extorsão mediante sequestro

Polícia afirma que entrou com pedido de prisão depois que a mãe da criança disse que o pai do menino ligou dizendo que ela ficará sem ver o filho, de 2 anos, caso as queixas não sejam retiradas.

Foto: Luana do Couto / arquivo pessoal
A Polícia Civil passou a tratar o caso do homem que fugiu com o filho de 2 anos em Araruama, na Região dos Lagos do Rio, como extorsão mediante sequestro, isso porque, segundo a polícia, o homem ligou para a ex-mulher exigindo vantagem para entregar o filho. A polícia entrou ainda com pedido de prisão.

A mãe da criança relatou à polícia que, durante a ligação, o homem fez ameaças dizendo que ela ficará sem ver o filho caso as queixas não sejam retiradas, além de exigir que ela pague uma quantia que deve a ele.

O telefonema ocorreu na segunda-feira (1º). Segundo Luana Couto, a mãe da criança, o homem disse que estava em São Paulo (SP) com o filho e que ele estava bem.

O homem levou o filho no sábado (30) depois que entrou na casa da ex-mulher quebrando a porta com um machado, agredindo a ex-sogra e ameaçando Luana de morte, segundo ela relatou à polícia e nas redes sociais.

Inicialmente, o caso estava sendo tratado pela polícia apenas como violação de domicílio, ameaça, lesão corporal, descumprimento de medida protetiva e dano, na forma da Lei Maria da Penha. Mas, após ligar fazendo exigências para entregar a criança, segundo a relatou a mãe, a Polícia Civil passou a tratar o caso como extorsão mediante sequestro.

Apelo nas redes sociais

"Ele simplesmente ameaçou matar todo mundo. Meu filho ficou com medo, começou a gritar e foi aí que eu deixei ele levar o menino", desabafou.

Luana contou que se separou do ex em março por conta de ciúmes e entrou com o pedido de divórcio na Defensoria Pública. Segundo ela, desde a decisão da separação foi tomada, seu ex-companheiro se tornou mais agressivo. Com medo de novas agressões, ela passou a morar na casa da mãe junto com o filho.

"Meu filho tem 2 anos, ainda mama no peito e o pai não tem a guarda dele. Saiu sem documentos, sem roupas, sem nada, não sei a situação que ele possa estar. Nestes últimos dias, o pai anda muito alterado. Fez isto apenas pra me atingir por não aceitar a separação", diz um trecho da publicação.



G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário